Posts filed under ‘Dicas’

Pop Arte e Imagem, Papel e Fúria

Pop Arte e Imagem, Papel e Fúria

Pop Arte resolveu unir suas forças ao site Imagem, Papel e Fúria. Para conferir o resultado, visite o site – clique aqui – e confira tudo e mais um pouco sobre design, comunicação, arte e as interfaces entre suas áreas e sub-áreas.

agosto 19, 2009 at 2:54 am Deixe um comentário

Cachorro Abandonado

941660945_7443e0e384

Para quem gosta de um bom conto, o Cachorro Abandonado chega de mansinho como uma ótima opção. O blog é uma iniciativa de Davi Boaventura – graduando de jornalismo da Facom | UFBA – que, atualmente, desenvolve o seu trabalho de conclusão de curso e finaliza o seu primeiro romance, segundo suas palavras  “uma epópeia etílica pela juventude soteropolitana”.

Segue, abaixo, um trecho do primeiro post chamado “O Segredo da Profissão”

“Deve ser fácil trabalhar como cronista, pensei cá com meus botões durante uma ressaca natalina. Coisinha das mais simples. Pegue um tema contemporâneo, rabisque algumas reclamações cheias de sarcasmo, adicione palavras incomuns e prepare um final surpreendente e engraçado – se seu feitio não é fazer rir que, pelo menos, seja misterioso. Fora isso, cada um possui sua fórmula própria, apesar de não haver muita diferença entre a maioria medíocre. Se João Ubaldo consegue, todo mundo pode.” Leia mais.

julho 22, 2009 at 7:08 pm Deixe um comentário

Nova edição do Guia do Ócio tem lançamento na Saraiva

Guia do Ócio 2009

A nova edição do Guia do Ócio, publicação anual que reúne informações culturais, de gastronomia, lazer e serviços da cidade de Salvador, terá lançamento no próximo sábado, dia 11 de julho, às 18h, na recém inaugurada Livraria Saraiva do Shopping Barra. A publicação cobre a cidade com 16 seções, 242 páginas, dando ênfase especial aos roteiros turísticos menos convencionais, destacando desde restaurantes populares a eventos de bairros e outras atrações originais e curiosas.

Entre as novidades da nova edição está a presença de personalidades baianas e nacionais dando dicas sobre o que ver e fazer em Salvador. Nomes como Wagner Moura, Margareth Menezes, Luiz Fernando Guimarães, Frank Menezes, Vovô do Ilê, José Carlos Capinan, Jorge Portugal, Gerônimo, Eliana Kruschewsky e Luciana Galeão, entre outros, indicam botecos, restaurantes, museus, atrações turísticas e outros pontos interessantes da cidade.

O Guia do Ócio é um produto da Companhia de Comunicação e tem coordenação editorial de José Antônio Moreno, design gráfico da Santo Design e participação de cerca de 20 jornalistas e colaboradores. A publicação pode ser encontrada ao preço de R$19,90 em livrarias, bancas de revistas, lojas de conveniências e principais hotéis da capital baiana.

Data: 11 – 07 – 2009

Horário: 18h

Local: Livraria Saraiva do Shopping Barra (Ex-Siciliano) – 2° piso

Assessoria de Imprensa
Companhia de Comunicação
Tels: 3247-5851/88921119 (Antônio Moreno)
Ssa. 06.07.2009

julho 8, 2009 at 1:52 pm Deixe um comentário

A Gosto da Fotografia

Hoje, o Pop Arte fez uma seleção de belas fotografias para você. As obras que serão mostradas foram expostas no A Gosto da Fotografia de 2008.

Pablo di Giulio

STR3

Martin Chambi

MCHSP026

Carlos Moreira

Cardeal_Arcoverde_1972

German Lorca

GL_253

junho 16, 2009 at 12:16 pm Deixe um comentário

Microsoft Project Natal

Nesta semana, um dos assuntos que geraram buzz na internet foi o mais novo invento da Microsoft, o Project Natal. Introduzido no show de Steven Spielberg, o sistema Natal pretende oferecer jogos com a tecnologia “controller-free gaming”. Mas afinal, como isso funciona? O Natal capta o movimento do corpo em 3D, respondendo aos comandos, direções e até mesmo uma mudança de emoção em sua voz. Ou seja, um sistema composto por um notável senso de controle e imersão.

Além disso, os sensores do Project Natal podem reconhecer faces através de características específicas como olhar, por exemplo, e não apenas reagir às palavras-chave de comando. O dispositivo tem nove polegadas de largura e é composto por uma câmera RGB, um sensor de movimentos – semelhante ao sensor bar do Wii – e um microfone.

Confira, abaixo, alguns vídeos demonstrativos do Project Natal:

junho 9, 2009 at 11:17 pm 1 comentário

Gago Apaixonado

Hoje, no Pop Arte, segue um texto de Paulo Costa Lima, compositor e pesquisador da Escola de Música da UFBA. No seu blog – www.paulocostalima.wordpress.com, o músico publica crônicas semanais e, também, disponibiliza músicas belíssimas compostas durante sua carreira.

Para quem curte música ou uma boa crônica, vale a pena conferir!

Paulo Costa Lima

Devo, não nego, uma crônica dedicada a Noel Rosa. Sua presença constante no cenário da música popular reafirma uma condição ímpar. A trajetória de vida não fica atrás: produziu mais de duas centenas de canções num período de sete anos, morrendo antes de completar 27 (1910-1937)— um verdadeiro vulcão. Chico Buarque reconhece que vem de sua lavra uma primeira formatação da canção popular no Brasil.

No entanto, pensar em Noel como patriarca fundador é um tanto estranho porque ele constrói um personagem tão malemolente, irônico, gozador, anárquico — dizem que gostava de escrever versões pornográficas do Hino Nacional — que espécie de pai seria?

É claro que no Brasil a figura do pai anárquico ocupa um lugar importante no imaginário. A falta de coesão social resultou num grande vazio de força simbólica unificadora — fomos Colônia por vários séculos, e reunimos num mesmo território gente de culturas muito distintas. Xangô e Descartes nem sempre se entendem! Então, muitas vezes a liderança precisou ser exercida ao contrário, ao arrepio da sisudez e dos ‘bons costumes’. No contrapelo dos limites.

É o que anuncia há mais de trezentos anos a figura de Gregório de Mattos, em sua recusa de ser porta-voz da oficialidade cultural, religiosa ou política. Traços semelhantes reaparecem em personagens e situações diversas a exemplo de Vadinho de Dona Flor, Macunaíma (herói sem caráter), ou na centralidade do carnaval (festa de alegria e de anarquia), e ainda na figura do malandro.

Ora, Noel está muito ligado ao mundo da boemia e da malandragem carioca do início do século XX. E exerceu sim, diversas vezes, o papel de reverberação de contra-discursos. Um dos mais densos e candentes é o que segue:

Quanto a você / Da aristocracia / Que tem dinheiro / Mas não compra alegria

Há de viver eternamente / Sendo escravo dessa gente / Que cultiva hipocrisia

Gosto de entender a canção ‘Gago Apaixonado’, uma de suas criações mais interessantes, como parte desse cenário. Imperdível conferir a gravação original, feita em 1931. Quase 80 anos depois e ninguém conseguiu chegar perto do frescor de sua originalidade — é samba, chorinho, modinha lírica, e não dispensa trejeitos de New Orleans, tudo no melhor estilo. Mas, sobretudo, lá está a voz e a presença irradiante de Noel.

A inteligência composicional da canção coloca em primeiro plano a situação hilária de um gago, extravasando sua decepção amorosa, e olha que os gagos geralmente cantam sem tropeçar. Mas há outras leituras relevantes.

Trata-se de um gago paradigmático. Quem é que alguma vez não se engasgou com a paixão? A paixão faz engasgar, gaguejar, praguejar – e eis que o nosso personagem acaba afirmando que sua ‘amada’ vai ficar corcunda. Nesse sentido, rir do gago é rir da própria condição humana.

Um detalhe importante: a amada não recebe nome. A canção mudaria de perfil se fosse dirigida a uma mulher específica (Rosa, Marina, Rita…) como é tão comum no repertório romântico. Noel deixa o objeto da paixão no seu nível mínimo de personalização: mu–mu–mulher. Prevalece o lado passional, do qual a gagueira faz parte.

A série de rimas que acompanha esse processo é bastante sugestiva: estrago / gago / afago. A palavra ‘estrago’ é um capítulo em si mesmo. O gago fica espremido entre o estrago e o afago. Não espanta que sua voz falhe. Ouve-se na gravação que Noel dá uma entonação toda especial à palavra afago, quase um arrepio, fazendo ainda por cima uma pequena cesura.

Outras séries de sonoridades significativas ampliam o processo. Na série ‘crueldade/da saudade/que maldade’, a repetição gaguejante acentua o ridículo e quase intoxica. Em outra direção surgem sonoridades mais pesadas, quase grosseiras (o estrago está feito): ‘moribundo/vagabundo’até ‘tu vais ficar corcunda’. Tudo isso torna a palavra ‘afago’ a única recordação doce (embora chorosa) de todo o episódio. Leia o texto na íntegra.

junho 6, 2009 at 8:14 pm Deixe um comentário

Ride My Star – 1º Clipe de Realidade Aumentada

Segundo alguns teóricos, uma Realidade Aumentada (Augmented Reality – AR) pode ser definida como: um sistema que combina elementos virtuais com o ambiente real, através de recursos interativos com processamento em tempo real e concebida em três dimensões. Ufa! Pois hoje em dia essa tendência, que vem sendo largamente utilizada em campanhas publicitárias, mostra que veio para ficar e que tem potencial para outras aplicações.

Na tentativa de se integrar às novas tecnologias de comunicação, o cantor inglês Julian Perreta, lançou o primeiro clipe musical em realidade aumentada para sua música “Ride My Star“.
julian_ar_

O clipe é uma novidade não só pela aplicação dessa tecnologia, mas, também, por trazer um upgrade para o campo musical – que busca incessantemente alternativas para conquistar o público.

Para assistir “Ride My Star” é bem simples.

1. Imprima o Tracker abaixo

julian_ar_2

2. acesse o site ao lado – www.julianperreta.com

3. Clique em “Ride My Star 3-D Interactive Video”

4. Depois é só curtir a experiência!

Confira como é a experiência:

Abaixo, segue links outras campanhas famosas que utilizam o recurso da R.A.

GE Ecomagination

Papa John’s Road Trip

Doritos Sweet Chili

junho 4, 2009 at 5:14 pm 5 comentários

Posts antigos


Posts recentes

Arquivos

Visitas

  • 72,282 hits

Flickr - Marcel Ayres

Twittando

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

qrcode
BlogsBA